Postado em 02 de abril de 2015 às 15:47 hs

É hora de trabalhar? Em casa ou no escritório?

 

Você já pensou no papel da luz na qualidade de vida das pessoas? Pois é, muita gente deixa de lado essa preocupação. Aí acontecem problemas como a dorzinha de cabeça no meio da tarde, a sensação de vista cansada ou o desanimo pra continuar trabalhando.

 

Preocupe-se! Todas essas sensações podem estar relacionadas à iluminação inadequada ao ambiente de trabalho. Não importa se você trabalha em casa ou no escritório ou ainda se precisa preparar o jantar ou lavar roupa depois que chega em casa à noite, pronta(o) para a segunda jornada.

 

Selecionamos algumas dicas práticas que podem ajudar a melhorar a sua qualidade de vida na hora de trabalhar.

 

A iluminação do escritório, em casa ou na empresa, precisa ser de boa intensidade e não provocar ofuscamento. Por isso, cuidado com o posicionamento das luminárias em relação ao plano de trabalho, que pode ser a área central da mesa ou o teclado de um notebook.

 

 

 

Para a luz geral use a iluminação difusa de um plafon central ou de spots e luminárias de embutir bem distribuídos no ambiente. Mas, cuidado! Não exagere na quantidade de luz para não gerar desconforto. Nesse caso, a iluminação geral serve somente para você circular no ambiente e realizar tarefas que não exigem muito esforço visual. Empregue um nível de iluminância de 300 lux. A temperatura de cor da luz pode variar entre 4.200K e 6.500K.

 

Clique aqui para ler o post sobre temperatura de cor da luz.

 

 

Para a luz de tarefa, aquela que vai iluminar o plano em que você executa seu trabalho, você precisa de luz mais intensa. Utilize luminárias de mesa que possibilitem o direcionamento do foco de luz. O nível de iluminância nessa área deve ser de 500 lux e a temperatura de cor entre 6.000K e 6.500K.

 

A cozinha tem uma grande parte de sua área dedicada à execução de tarefas. É fundamental corrigir um problema clássico das construções padrão - um único ponto de luz no centro do ambiente. A iluminação vinda desse ponto de luz geralmente projeta a claridade na sua nuca, criando uma área escura ou cheia de sombras sobre a pia e a bancada. A melhor opção é instalar luminárias de embutir que forneçam luz para o plano de trabalho. Outro ponto importante: é uma área em que a luz permanece longos períodos acessa. Prefira as luminárias para lâmpadas fluorescentes ou de LED.

 

 

A iluminação geral da cozinha pode ter 300 lux de iluminância e a iluminação para as áreas de tarefa (pia e bancadas) deve ter 500 lux.

 

A iluminação da lavanderia precisa do mesmo cuidado da iluminação da cozinha. Evite as sombras nas áreas de trabalho e instale luminárias que garantam luz mais intensa e branca.

 

 

Reforçando os pontos principais da iluminação para áreas de trabalho:

·  Garanta luz suficiente no plano de tarefa associada à luz geral menos intensa.

·  Elimine áreas de ofuscamento e com sombras.

·  Como são áreas onde a iluminação permanece acessa por longos períodos, utilize lâmpadas fluorescentes ou LED.

 

Produtos Startec relacionados:

SPOTS E LUMINÁRIAS DE EMBUTIR LED | LUMINÁRIAS DE MESA

 

Compartilhe este Post

Postado em 02 de abril de 2015 às 11:59 hs

Um cálculo simplificado para iluminância de ambientes.

 

Esse é um conceito fundamental para a definição da quantidade de luz mais adequada para cada situação. A iluminância é a quantidade de luz presente em um ambiente ou superfície e a unidade de medida utilizada é o LUX (lx).

 

Existe uma Norma Técnica que determina o nível de Iluminância ideal para ambientes de acordo com as atividades que serão executadas no espaço. A norma é a NBR 5413 (Iluminância de Interiores) da ABNT. Conheça os principais níveis de iluminância residencial normatizados.

 

 

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas | NBR – Norma Brasileira

 

Para avaliar se um conjunto de iluminação artificial está bem dimensionado para o ambiente e para as tarefas que ali serão executadas você precisa calcular o nível de iluminância e confrontar com a tabela da norma ABNT. Mas, como calcular o nível de iluminância em um ambiente ou superfície?

Esse cálculo é complexo e envolve uma série de fatores que interferem em maior ou menor grau na iluminância no ambiente. Os profissionais da Luminotécnica utilizam vários outros conceitos e ferramentas para definir com maior precisão a real necessidade de luz para cada ambiente.

Aqui você encontra uma forma simplificada que vai te ajudar a ter uma ideia se a luminária e a lâmpada escolhidas fornecerão luz suficiente.

 

A fórmula simplificada é  lm (fluxo luminoso da lâmpada) /m² do ambiente = lux
 

 

Um exemplo de análise: você tem um dormitório de 20 m² e quer instalar um plafon com três lâmpadas fluorescentes compactas de 11W (cada uma delas emite 700 lúmens). Qual a iluminância no ambiente?

 

3 x 700 lm/20 m² = 2.100 lm /20 m² = 105 lux
 

 

Segundo a norma ABNT um dormitório deve ter no mínimo 50 lux para a luz geral, portanto, concluímos que nesse caso, o plafon com três lâmpadas está superdimensionado.

Outra forma de conduzir a análise é verificar primeiro a iluminância que a norma indica para determinado ambiente, para então, chegar à quantidade de fluxo luminoso necessária.

 

X lm /20 m2 = 50 lux → X lm = 50 x 20  → X lm = 1.000 lúmens

 

Para esse ambiente 1.000 lúmens é o ideal. A opção mais correta é um plafon com duas lâmpadas de 11W, que somam 1.400 lm. Podemos adotar esse padrão com mais lúmens, porque existe uma depreciação do fluxo luminoso basicamente por dois motivos: a existência de um difusor que reduz a emissão da luz para o ambiente e a depreciação do fluxo luminoso ao longo do tempo.

A única maneira de conseguir uma avaliação precisa do nível de iluminância é com a utilização de um luxímetro ou fotômetro.

 

 

Compartilhe este Post

Postado em 02 de abril de 2015 às 11:28 hs

Escolha a temperatura de cor da luz ideal.

 

 

Indispensável para definir a melhor ambientação, é um critério que classifica a tonalidade de cor da luz emitida pela lâmpada. É importante saber que, apesar de se chamar “temperatura de cor”, essa grandeza não qualifica a sensação de calor emitida pela fonte luminosa. Corresponde sim, a tonalidade da cor da luz.

 

Quanto mais quente a luz menor a temperatura da cor e quanto mais fria a luz maior a temperatura da cor.

 

 

 

Para cada uso do ambiente existe uma temperatura de cor ideal.

As temperaturas de cor quentes [luz aconchegante – amarelada] são indicadas quando se deseja uma atmosfera íntima, sociável, pessoal e exclusiva no ambiente.

As temperaturas de cor neutras [luz branca suave – branca] são indicadas para ambientes residenciais e comerciais quando se deseja um ambiente confortável, especialmente em áreas como recepção, hall de entrada e corredores.

As temperaturas de cor frias [luz branca intensa – branca azulada] são adequadas para ambientes formais onde se deseja estimular a atividade humana, a precisão das ações e destacar aspectos como limpeza e organização. 

 

 

Compartilhe este Post

© Copyright 2012 Startec Import | by Consultor Net